Seguidores

sábado, 29 de setembro de 2012

Palestra na Associação Mineira de Reabilitação


No dia 19 de setembro de 2012 a coordenadora da Coordenadoria Especial de Apoio e Assistência à Pessoa com Deficiência - CAADE, Ana Lúcia de Oliveira proferiu palestra na Associação Mineira de Reabilitação, em Belo Horizonte/MG. O tema da palestra foi: "A Responsabilidade da Pessoa com Deficiência no Processo de Inclusão".
Estavam presentes muitas mães com seus filhos, que fizeram perguntas, inclusive quanto ao Benefício de Prestação Continuada e muitas não sabiam que quando a pessoa com deficiência entra no mercado do trabalho, o benefício agora é suspenso e não mais cancelado, segundo a Lei 12.470/2011.
Na oportunidade foi distribuído ao público o folder da CAADE.
Foi uma manhã de muito proveito, onde a coordenadora conheceu a Associação, que é de grande importância para as pessoas com deficiência. Nesta encontramos esperança e alegria para muitas pessoas.
Parabéns a todos da Associação Mineira de Reabilitação, que além de sua competência na saúde agora trabalha na inclusão das pessoas com deficiência no mercado de trabalho.

ANA LÚCIA DE OLIVEIRA



Coordenadora da Coordenadoria Especial de Apoio e Assistência à Pessoa com Deficiência - CAADE

Avanços tecnológicos ajudam deficientes a se inserirem no mercado




Enquanto o mundo celebra as extraordinárias conquistas dos atletas paraolímpicos nos jogos de Londres, pessoas com deficiência em todo o mundo enfrentam desafios cada vez mais sérios na luta por espaço no mercado de trabalho. As dificuldades físicas, aliadas ao preconceito e ignorância, ficam ainda mais difíceis de superar em tempos de recessão econômica.
Muitos acreditam que a tecnologia - que auxiliou tantos atletas durante as Paraolimpíadas - tem um papel importante em permitir que a pessoa com deficiência brilhe também fora do Parque Olímpico, realizando seu potencial nas mais diversas profissões. A BBC ouviu alguns dos profissionais trabalhando neste para isso.
Revolução biônica
Um dos líderes na batalha para que a tecnologia abra os caminhos do mundo para as pessoas com deficiência está o americano Hugh Herr, professor do Media Lab do MIT (Massachusetts Institute of Technology), em Massachusetts, Estados Unidos. Ele acredita que os avanços da tecnologia biônica podem liberar o potencial de uma força de trabalho que, até agora, vinha sendo subutilizada.
"Eu prevejo uma revolução de biônicos", disse Herr. "Estamos entrando em uma era biônica, onde começamos a ver tecnologia que é sofisticada o suficiente para imitar funções fisiológicas importantes". Ele fala com convicção e tem boas razões para isso. Como diretor da companhia iWalk - que fabrica próteses robóticas que imitam as funções de membros do corpo humano - Herr trabalha com biônicos diariamente.
Além disso, o professor personifica a revolução que prevê. Durante uma mal sucedida expedição de alpinismo em 1982, Herr sofreu ulcerações tão graves provocadas pelo frio que suas pernas tiveram de ser amputadas abaixo dos joelhos. Hoje, graças aos produtos que ele próprio desenvolveu, Herr continua a praticar alpinismo.
As próteses biônicas que produz são tão avançadas que não apenas imitam as funções de uma perna humana normal - elas são, em vários aspectos, superiores. E estão disponíveis comercialmente em outros 50 centros espalhados pelos Estados Unidos. Um cliente da iWalk, um trabalhador de fábrica de Ohio, conseguiu voltar ao trabalho apenas duas semanas após ter suas novas pernas ajustadas.
"Podemos colocar as pessoas de volta no trabalho, o que é (uma conquista) imensa. Só isso custaria ao Estado milhões de dólares". "Além disso, podemos reduzir ou eliminar gastos". Herr explicou que, quando uma pessoa manca, há efeitos colaterais, como dor nas costas e nas juntas. E eles tendem a aumentar com o passar dos anos. "Tivemos pacientes cuja dor foi cortada pela metade, ou em 75%, o que é bastante".
Combatendo o estigma
Para alguns, no entanto, não se trata de retornar ao antigo emprego e, sim, de conseguir um trabalho. Barbara Otto é diretora da ONG Think Beyond the Label, uma entidade que tenta auxiliar empresas que desejam contratar pessoas com deficiência.
A ONG criou um portal digital que funciona como uma rede social, permitindo que empregadores e força de trabalho façam contato. A entidade organiza, por exemplo, feiras online onde empresas e candidatos a empregos podem se encontrar.
Com isso, Think Beyond the Label tenta romper o estigma que tantas vezes mantém pessoas com deficiência fora do mercado de trabalho. "A grande vantagem dessas feiras profissionais online é que não há necessidade de que as empresas viajem, e não há a necessidade de que as pessoas com deficiência viajem para um determinado local". "Isso rompe quaisquer inibições que um empregador possa ter, ou que uma pessoa com deficiência possa ter, ao entrar em contato".
Otto acredita que empresas têm muito a ganhar ao empregar pessoas com deficiência. "Sempre digo, se você quiser contratar alguém que pense diferente, empregue uma pessoa com alguma deficiência". "Suas experiências diárias fazem com que procurem inovar". "Quando buscamos inovações em design, tecnologia ou em usos de softwares, pessoas com deficiência são sempre capazes de oferecer essa inovação que faltava porque precisam inovar na sua vida diária".
Acesso ao trabalho
Outra importante frente de batalha na luta para colocar a pessoa com deficiência no mercado profissional é garantir a eles o acesso ao local de trabalho. "A tecnologia terá um papel central nesse processo", disse Alan Roulstone, professor de inclusão da Northumbria University, nas imediações de Newcastle, no norte da Inglaterra.
Ele acredita que a grande estrela nesse palco são as tecnologias de navegação ambiental, ou sistemas de navegação por satélite adaptados para uso em prédios de escritórios. "Tendo em vista a maneira como a telefonia e as tecnologias de GPS (Global Positioning Systems) estão se desenvolvendo, acho que é apenas uma questão de tempo para que você tenha apps para celulares que permitam que pessoas com deficiência visual, declínio cognitivo ou dislexia naveguem pelo ambiente".
Críticas
Alguns observam com cautela a emergência de tecnologias capazes de nos levar além das fronteiras da natureza - particularmente no caso dos biônicos, que podem ser usados para aumentar as capacidades do corpo humano. Essas questões não preocupam Hugh Herr, do MIT Media Lab. E ele explicou por que: "existe tanta dor e sofrimento no mundo hoje por causa de corpos que não funcionam muito bem. A narrativa dominante é construir uma sociedade onde essa dor e sofrimento sejam reduzidos".
"As pessoas, em geral, não acham que isso não seja ético". E acrescentou: "eu não consigo ver um problema em irmos além do que a natureza pretendia. Nós já fazemos isso, com celulares, bicicletas, carros e aviões".
Fonte: BBC

Fonte: http://www.apabb.org.br/visualizar/Avancos-tecnologicos-ajudam-deficientes-a-se-inserirem-no-mercado/3449/

MEC muda programa para melhorar acessibilidade nas universidades


Notícia muito importante para as pessoas com deficiência.

É preciso agora exigir das Universidades a acessibilidade que as pessoas com deficiência precisam para estudar em condições iguais.
_________________________________________________
28/9/2012 14:51,  Por Redação, com ABr - de Brasília
Com a mudança no programa, com o investimento direto nas instituições, o MEC espera melhorar as condições para o acesso e a permanência dos estudantes nos cursos de nível superior
O Ministério da Educação (MEC) mudou o formato do Programa Incluir, destinado a investimentos nas universidades públicas para melhorar a acessibilidade de pessoas com deficiência. Até 2010, o recurso era colocado à disposição por meio de editais e as universidades participavam de uma seleção para receber os valores. A partir deste ano, a pasta decidiu eliminar a seleção e definir já na proposta orçamentária o montante para cada universidade.
Com a mudança no programa, com o investimento direto nas instituições, o MEC espera melhorar as condições para o acesso e a permanência dos estudantes nos cursos de nível superior. O último edital disputado pelas universidades foi em 2010 e sua vigência terminou em dezembro de 2011. O valor total previa a aplicação de R$ 5 milhões.
O MEC informou ainda que, em 2012, foram investidos em todas universidades federais a quantia de R$ 3 milhões. A previsão de investimento deve alcançar R$ 11 milhões em 2013, a serem aplicados em adequação arquitetônica para acessibilidade como rampas, barras de apoio, corrimão, piso e sinalização tátil.
Além das obras de adaptações, o MEC destacou que os recursos também poderão ser usados na aquisição de computador com interface de acessibilidade, impressora braille, lupa eletrônica e outros materiais didáticos e pedagógicos.
Para a diretora de desenvolvimento da Rede de Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes) do Ministério da Educação, Adriana Rigon Weska, a mudança significou um avanço nas condições enfrentadas pelos estudantes com deficiência. “O governo federal tem feito um esforço de eliminar barreiras físicas pedagógicas e permitir o acesso à informação. É um avanço”, disse à Agência Brasil.
De acordo com Adriana Weska, para atender a demanda pedagógica dos universitários com deficiência, a pasta vai criar o curso de letras, português, libras até 2014, em cada estado do país. “Serão ofertados mais 12 cursos de pedagogia na perspectiva bilíngue pelo Instituto Nacional de Educação de Surdos (Ines) para formação inicial de professores e tradutores, intérpretes de libras”, disse.
O ministério prevê ainda abrir concurso até dezembro deste ano para contratação de 229 professores e 606 técnico-administrativos. A medida envolve as pastas do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, da Educação, da Saúde e da Secretaria de Direitos Humanos, com o Plano Viver sem Limites.

Fonte: http://correiodobrasil.com.br/mec-muda-programa-para-melhorar-acessibilidade-nas-universidades/521849/#.UGcM3q7N35Q

domingo, 23 de setembro de 2012

Voto Acessível


Recebi esta notícia da Juliana Costa, Assessora de Comunicação do TRE/MG.
_________________________________________________________________________________

Caríssimos,
A Justiça Eleitoral produziu um vídeo sobre a Acessibilidade para treinamento dos mesários que irão atuar nas Eleições 2012.
O vídeo foi publicado no Youtube, mais um canal de divulgação utilizado pela Justiça Eleitoral para chegar até o a sociedade.
Acessem: http://www.youtube.com/watch?v=nvUJZ9pvc7I&feature=plcp
Atenciosamente,

Juliana Costa
Assessoria de Comunicação/TRE-MG.

"Não há outro projeto senão o da paz, do amor,da alegria. Todos os outros planos são fúteis" - Pierre Lévy, pensador francês


domingo, 16 de setembro de 2012

Caade participa de iniciativa para incluir pessoas com deficiência no mercado de trabalho








As ações desenvolvidas pelo governo de Minas para atender as necessidades das pessoas com deficiência serão divulgadas de 15 a 30 de setembro, durante o “Projeto Oportunidades Especiais”, que começa neste sábado (15), às 9h, no Shopping Cidade, localizado no Centro de Belo Horizonte.

O projeto Oportunidades Especiais busca vagas de grandes empresas (com forte atuação em programas de inclusão) e oferece ao público de pessoas com deficiência. A iniciativa tem o apoio da Subsecretaria de Direitos Humanos, por meio da Coordenadoria Especial de Apoio e Assistência à Pessoa com Deficiência (Caade), que ajuda na mobilização das pessoas com deficiência que buscam emprego em Minas Gerais. 

No Shopping Cidade, a divulgação será feita em stands e os interessados terão a oportunidade em um número maior de ofertas de emprego.

Responsável pela Caade, Ana Lúcia de Oliveira destaca a importância da parceira entre o poder o público e a iniciativa privada.  “A inclusão das pessoas com deficiência no mercado de trabalho é um desafio que exige o envolvimento do poder público, das empresas e da sociedade”, disse.

sábado, 15 de setembro de 2012

CRP-MG realiza seminário sobre o trabalho de Pessoas com Deficiência



O Conselho Regional de Psicologia - Minas Gerais convida a todos os psicólogos para participarem do seminário “O Trabalho como instrumento de Transformação Social da Pessoa com Deficiência”, nos dias 28 e 29 de setembro de 2012, no auditório do Instituto São Rafael (Av. Augusto de Lima, Barro Preto BH/MG).

O evento tem com objetivo viabilizar a possibilidade de transformação social a partir da disseminação de informações sobre práticas laborais bem sucedidas envolvendo organizações e pessoas com deficiência, além de celebrar o Dia Municipal da Pessoa com Deficiência, comemorado no dia 22 de setembro.

Para participar os interessados devem preencher a ficha de inscrição e enviá-la juntamente com o comprovante de depósito para o email comunica2@crpmg.org.br ou pelo fax (31) 2138-6763. As inscrições terão uma taxa de R$20,00 (vinte reais).

Confira a programação do evento e participe!

Programação:

28 de setembro
19h00 - Credenciamento

19h30 – Abertura
- Presidente do CRP- MG - Marta Elizabete de Souza
- Presidente da CPTO /CRP-MG - Elizabeth de Lacerda Barbosa
- Coordenadora da Coordenadoria Especial de Apoio e Assistência à Pessoa com Deficiência da Sedese - Ana Lúcia de Oliveira.
Coordenador Municipal de Direitos das Pessoas Portadoras de Deficiência - José Carlos Dias Filho.

20h00 – Conferência: Diversidade Humana e o Trabalho do Psicólogo nas Organizações
Prof. Doutor José Carlos Zanelli – Instituto Zanelli

29 de setembro
08h30 – Mesa: Trabalhabilidade como Transformação Social para Pessoas com Deficiência

Tema: Empregabilidade da Pessoa com Deficiência
Prof. Doutor Lucio Mauro Reis (Instituto Ester Assumpção)
Tema: Trabalhar é Legal
Angélica Fortes Ferreira de Souza (FAENOL – Nova Lima)

Coordenação: Denise Martins

10h30 – Intervalo

10h45 – Mesa: A pesquisa como fundamento para a Transformação Social

Tema: Trabalho e Pessoas com Deficiência: contribuições das pesquisas para a transformação social
Profa. Doutora Maria Nivalda de Carvalho-Freitas (UFSJ)

Tema: Acessibilidade como instrumento de transformação social em uma sociedade inclusiva
Anahí Guedes de Mello (Mestranda UFSC)

Coordenação: Nanci Rajão

12h45 – Encerramento


SERVIÇO
Evento: “O Trabalho como instrumento de Transformação Social da Pessoa com Deficiência”
Realização: Conselho Regional de Psicologia - Minas Gerais
Organização: Comissão de Psicólogos do Trabalho e Organizacional
Local: Auditório do Instituto São Rafael (Av. Augusto de Lima 2109 Barro Preto - BH/MG)
Data: 28 e 29 de setembro de 2012
Valor da inscrição: R$20,00
http://www.crpmg.org.br/GeraConteudo.asp?materiaID=2727

Exposição homenageia Dia de Luta das Pessoas com Deficiência


A Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência da Assembleia Legislativa de Minas Gerais promove, de 17 a 21 de setembro, uma exposição de obras de artistas com deficiência. A solenidade de abertura da mostra será na segunda-feira (17/9/12), às 10 horas, no Espaço Democrático José Aparecido de Oliveira (Hall das Bandeiras). A exposição acontecerá por sugestão do deputado Marques Abreu (PTB). De acordo com o parlamentar, a mostra é uma “possibilidade real de retratar a luta das pessoas com deficiência e de dar oportunidade a artistas de mostrarem seus trabalhos”.
No total, serão 21 obras. Dessas, 12 pinturas e três esculturas ficarão no hall do Palácio da Inconfidência (entrada pela rua Rodrigues Caldas, 30). Outras seis pinturas serão expostas no corredor do andar SE, onde ficam os plenarinhos e o Auditório da Assembleia. Um dos objetivos da exposição é homenagear o Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência (21 de setembro).
Os artistas participantes da mostra são David Roosevelt de Brito Carvalho Faria, Fábio Júlio da Silva, Flávio Jock Alberti, Kátia Santana dos Santos Lima, Paulo Roberto de Morais Alberti, Ronaldo Pio e Sérgio Magno Junior. Na abertura, que contará com apresentação do Coral do Instituto São Rafael, estão previstas as presenças de entidades ligadas ao tema, de autoridades mineiras, além dos deputados Marques Abreu e Doutor Wilson Batista (PSD), presidente da comissão.

Audiência – Como parte da homenagem ao Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência, a Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficência vai promover, também, uma reunião com o objetivo de debater o histórico de luta dessas pessoas. A audiência pública será na quarta-feira (19/9/12), às 10 horas, no Teatro da ALMG. O requerimento para a reunião é do deputado Marques Abreu.

Fonte: http://www.almg.gov.br/acompanhe/noticias/arquivos/2012/09/10_exposicao_pessoas_com_deficiencia.html

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

É sempre uma honra voltar à Apae de Pará de Minas, um lugar muito aconchegante. Sempre sou recebida com muito carinho por todos. A Subseção da OAB sempre está presente. O Presidente Dr. Djalma Fulgêncio Filho e advogados da subseção realizam atendimento jurídico na Apae e o Dr. Vitor Magno de Almeida Oliveira, Presidente da OAB/Jovem da Subseção é membro do recém criado Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência. União imprescindível para a garantia dos direitos da pessoa com deficiência.
________________________________________________________________

Na APAE de Pará de Minas, palestra sobre os direitos da pessoa com deficiência engrandece a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência
22.08.2012E-mailEnviar     ImprimirImprimir
         Para instruir familiares, funcionários e pessoas com deficiência, a APAE de Pará de Minas incluiu na sua programação da Semana Nacional da Pessoa com Deficiência uma palestra que aborda sobre os direitos da pessoa com deficiência. A mesma foi ministrada pela Dra. Ana Lúcia de Oliveira que é pós-graduada em Direito Penal e Processual Penal pela Faculdade de Direito de Ipatinga, Presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com deficiência da OAB/MG, Coordenadora da Coordenadoria Especial de Apoio à Pessoa com Deficiência (CAADE) da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (SEDESE/MG), Conselheira do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Membro da Comissão de Direitos Humanos, da Comissão OAB – Cidadã e da Comissão de assuntos Penitenciários da OAB/MG.  Foi feito também um plantão jurídico durante todo o dia, para que os familiares pudessem tirar dúvidas sobre as questões que abordam os direitos da pessoa com deficiência.
Palestra   Palestra
Palestra   Palestra

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

OAB/MG em defesa dos direitos da pessoa com deficiência



O presidente da OAB/MG, Luís Cláudio Chaves recebeu, na última segunda-feira (03/08), em seu gabinete, a presidente da presidente da Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência, Ana Lúcia de Oliveira e a advogada, Magda Ângela Ferreira Arantes.
Na ocasião, elas vieram solicitar a ajuda da OAB Minas, na defesa dos direitos de um casal de deficientes visuais adotaram uma criança, pois eles estão sendo impedidos.
Luís Cláudio colocou a Ordem à disposição e disse que a seccional irá defender os direitos desse casal que também é defendido pela Constituição Federal e na Convenção Internacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência.



Entenda por que as 'Paraolimpíadas' agora se chamam 'Paralimpíadas'


Para quem, como eu, tinha a curiosidade de saber o porquê da retirada da letra "o", está abaixo a resposta.

________________________________________________


Atletas paralímpicos do Brasil desfilam na abertura das Paralimpíadas de Londres
Foto: AP
Mudança
Até sua última edição, em 2008, as Paralimpíadas, jogos esportivos envolvendo pessoas com algum tipo de deficiência, eram chamadas no Brasil de Paraolimpíadas. No entanto, em novembro do ano passado, durante o lançamento da logomarca dos Jogos Paralímpicos de 2016, no Rio, o nome dos jogos perdeu a letra "o" e passou a ser chamado de Paralimpíadas a pedido do Comitê Paralímpico Internacional.

A intenção foi igualar o nome ao uso de todos os outros países de língua portuguesa: Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste, onde já se usava o termo Paralimpíadas. Além disso, a palavra "olimpíadas" é referente à outra organização esportiva, o Comitê Olímpico Internacional.

A palavra vem do inglês "paralympic", que mistura o início do termo "paraplegic" e com o final de "olympics" para designar o atleta paralímpico.
Fonte: G1